DESEJANÇAS


31/03/2011


 

 

9.4

 

Trago a faca cega das palavras

e um alfabeto pobre

incapaz de traduzir

o gozo silencioso

que o teu misterioso

e alucinógeno  olhar causa 

ao penetrar minha pele,

provocando  ebulição

no rio da minha alma.

 

Sigo no exercício cotidiano

de amordaçar com o éter da metáfora escrita

o pavor que tua ausência me causa.

 

Asfixio meu pensamento

e faço da poesia

monólogo de saudade

do teu corpo sobre o meu

 

 

 

Escrito por lilia diniz às 23h34
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Histórico